PALESTRA 10 - IGREJA TENRIKYO AMAZONIA

Ir para o conteúdo

Menu principal:

ARQUIVOS > PALESTRAS > YOSHIHIKO SHIROKIHARA
 Vamos divulgar dedicando à alegria do próximo
 
 
   Se perguntarmos hoje a uma criança o nome dos seus pais, provavelmente eles saberão falar, porém se perguntarmos qual a idade e a data de nascimento exato deles, poucos saberão responder. Ainda mais se perguntarmos o nome dos seus avós e bisavós, talvez quase nenhuma saiba responder.
Portanto, acredito que a maioria das crianças por si só, não tem conhecimento sobre a história da família, ou que tipo de família ele cresceu e foi criado. 

   Eu tive conhecimento sobre a minha família Shirokihara quando os meus bisavôs dedicaram a sua fé ao Tenrikyo, e graças a um livro que conta a história da família escrita minuciosamente. E este livro passou de geração em geração falando sobre todo o andamento da família. Assim, pude entender o caminho espiritual dos meus antepassados.
A minha bisavó, Shirokihara Akiyo, na época estava noiva de um rapaz que estudava por conta própria em Tokyo. Porém, a pedido de seu pai, ela teve que casar mesmo contrariada, com uma pessoa que estava com uma doença pulmonar. Após um mês de casada, ela acabou voltando para a casa de seus pais.

   Desde então, a doença do seu marido piorou e acabou falecendo. E o ex-noivo que estava em Tokyo, quando soube que ela tinha se casado, ficou desesperado, parou de estudar e acabou desaparecendo. Akiyo nunca mais teve notícias dele.
O casamento com o meu bisavô, Shirokihara Meikichi, aconteceu após a essas circunstâncias. No entanto, pelo fato da família Shirokihara ter uma posição social baixa, o casamento dos dois foi muito contrariado pela família dela. Mesmo assim, em maio de 1895, Meikichi Shirokihara se casou com a Akiyo. E em fevereiro de 1896 nasceu o meu avô Tamotsu.

   O meu bisavô Meikichi após o casamento, perdeu o seu negócio com arroz. A minha bisavó teve que desfazer dos seus bens da família, e foi obrigada a ir trabalhar em Tokyo para sustentar a família.
Desde então, Akiyo levando o seu filho Tamotsu, foi trabalhar vendendo coisas nas ruas e passou por muitas necessidades financeiras.
Depois, com a ausência de Akiyo na casa, uma senhora chamada Matsuko que conheceu por acaso, entrou na vida de Meikichi e Akiyo. Como o segundo filho Hajime nasceu com problemas de saúde, Akiyo teve que levá-lo para Kyushu(sul do Japão) para tratá-lo. Porém, esta senhora Matsuko, estava servindo na casa de Meikichi como se fosse a própria esposa, querendo substituir a Akiyo. Entretanto, o filho mais velho Tamotsu que foi deixado em Tokyo, era castigado e maltratado pela Matsuko. E Tamotsu, sentindo muita saudade da mãe, resolveu esperar até o final do ano para ir atrás dela sem dinheiro e pedindo carona para chegar até a mãe.

   Depois disso, Tamotsu morou com a sua avó por um ano e meio.
Logo, a pedido do filho doente, que queria muito ver o pai, Akiyo acabou voltando para a casa do seu marido, vivendo à custa deste e da Matsuko( sua amante). Dentro desta situação tão precária e humilhante, Akiyo encontrou-se com a Tenrikyo. Então, logo após isso, o seu filho Hajime chegou a falecer.

   Akiyo segurou o seu filho Tamotsu e passaram a frequentar o Tohon Daikyokai (Igreja-Mor) todos os dias. No ano seguinte, o meu bisavô Meikichi também sofreu de problemas de saúde, e converteu-se a Tenrikyo. Assim, Meikichi e Akiyo resolveram seguirem juntos como um casal e foram morar no Tohon Daikyokai, dedicando-se firmemente no caminho da fé.
Depois disto, graças à dedicação sincera dos meus bisavós e avós, é que se originou o Honshiba Daikyokai.
Explicarei um pouco sobre o Kaityo da Igreja-Mor Tohon, que era o meu bisavô Meikichi.
“Por dificuldades extraordinárias que o professor Meikichi passou, é que deu origem a Honshiba Daikyokai. O sofrimento de uma pessoa sempre deixa uma semente de esperança. E se você passar este sofrimento com alegria, seja ela pessoa da Tenrikyo ou não, conseguirá receber qualquer virtude. 
O ser humano quanto mais receber virtudes, de acordo com o seu merecimento, é preciso enfrentar o sofrimento com gratidão e com o espírito alegre.

   O meu avô foi uma pessoa que nunca desperdiçava o dinheiro que tinha, e todas as vezes que os fiéis faziam a oferenda, mesmo que esta oferenda fosse apenas um centavo, ele chorava de alegria e sempre agradecia muito a Deus-Parens por isso.
Portanto, todas as vezes que os fiéis se dedicam em fazer a oferenda para a igreja, agradeço de coração pelo menos cem vezes a Deus-Parens. Mesmo que as pessoas se dediquem, se nós não dedicarmos de coração, o caminho da razão não se estabelecerá firmemente.
Tsukushi Hakobi, quer dizer que é preciso dedicar e conduzir o próximo estabelecendo o verdadeiro sentimento da fé.”
A predestinação da minha família Shirokihara, é a família se desprender e extinguir-se. Porém, devido a semente que os meus pais e avós se dedicaram firmemente neste caminho da fé, acredito que hoje a família tem uma forma preciosa.
Para dedicar-se ao caminho da fé, é importante executar a “Vontade de Deus-Parens e do Daikyokaityosama” com sinceridade verdadeira. Assim, sem percebermos, o mundo a nossa volta vai se tornando diferente. O nosso destino vai seguindo um caminho melhor do que esperamos. Por isso, o caminho da fé é algo extraordinário e muito gratificante.

Chefe da igreja-mor Honshiba, 

Yoshihiko shirokihara



 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal