AS OITO POEIRAS - IGREJA TENRIKYO AMAZONIA

Ir para o conteúdo

Menu principal:

ARQUIVOS
As oito Poeiras
    É nos ensinado como poeiras os usos espirituais que não correspondem ao desejo de Deus-Parens. As poeiras são minúsculas a ponto de voarem com um sopro, mas que, se descuidarmos, empilham-se e acumulam-se tornando difíceis de remover mesmo espanando ou varrendo.
   Da mesma maneira, o uso espiritual que é uma razão permitida a cada um, se tivermos com espírito caprichoso e egocêntrico que não está de acordo com a vontade de Deus-Parens o espírito tende a ficar sujo e turvo, o que impede a compreensão do desejo de Deus-Parens e o recebimento de suas graças.
  Para auxiliar a reflexão e limpeza desses erros espirituais consideradas poeiras foram ensinadas as Oito Poeiras Espirituais: mesquinhez, cobiça, ódio, amor-próprio, rancor, raiva, ambição, orgulho. E foi acrescentado que Deus "detesta a Mentira (Usso) e Lisonja (Tsuisho)."
 
Mesquinhez (Oshii):
   É relutar ou deixar de realizar trabalho espiritual ou físico; relutar em pagar impostos e pagamentos; faltar ao dever que lhe compete em benefício dos próximos, do mundo; relutar em devolver o que tomou emprestado; deixar duras tarefas aos outros para obter comodismo para si.
 
Cobiça (Hoshii):
   É querer ganhar dinheiro sem prestar serviço ou prestando negligentemente; querer vestir-se com luxo ou comer iguarias esquecendo os méritos pessoais. Mesmo tendo, deseja sempre mais seja em que for.
 
Ódio (Nikui):
   É o espírito de julgar mal e detestar por ser advertido ou aconselhado; de desavença entre as pessoas da família como entre sogra e nora; de censurar e ridicularizar outros falando mal pelas costas; de culpar e detestar os outros antes de ver a situação.
 
Amor-próprio (Kawai):
   É pensar somente no bem-estar próprio sem se importar com a sorte dos outros; arrastados pelo amor, deixar que os filhos se queixem das comidas e vestes. Mimar sem limites. Não lhes advertir a más condutas e permitir os seus caprichos; ainda é poeira, falar mal dos outros por conveniência pessoal.
 
Rancor (Urami):
   Ter sentimento de aversão dizendo que os outros atrapalharam seus planos, disseram isso ou aquilo, ou lesaram sua imagem, sem considerar as deficiências do seu conhecimento, sua capacidade, etc, guardar ressentimentos.
 
Raiva (Haradati):
   E o espírito de se irritar porque alguém disse algo mau, agiu desta ou daquela maneira e ignoramos a razão alheia insistindo na nossa.
 
Ambição (Yoku):
   É querer sempre mais, somente para si, e o máximo possível; seja o que for e mesmo dos outros; por vezes apoderar-se de coisas alheias; ganhar enganando os outros, inclusive na medida; ainda, perder-se na luxúna são também usos espirituais desta poeira.
 
Orgulho (Kouman):
   Ser soberbo sem merecer; rebaixar os outros; oprimi-los pela força do dinheiro; menosprezar e pisotear os próximos gabando-se da força e inteligência; subestimar os outros fingindo saber o que não sabe; procurar os pontos fracos dos outros, etc.

 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal