PALESTRA 02 - IGREJA TENRIKYO AMAZONIA

Ir para o conteúdo

Menu principal:

ARQUIVOS > PALESTRAS > YOSHIHIKO SHIROKIHARA
 Compreendendo o Sofrimento no Coração do Próximo

   É sabido que a cerimônia da grande Festa de Primavera é realizada afim de que todas as pessoas do mundo alcancem a vida plena de alegria e felicidade. Mas, a principal razão é a rememoração ao dia em que Oyassama, nossa mãe, ocultou fisicamente para salvar todos do mundo fomentando a maturação espiritual afim de, concretizar a vida de plena harmonia entre as pessoas salvando-se multuamente.É também, o momento de refletirmos se estamos no dia-a-dia pondo em prática os ensinamentos passados a nós por Oyassama.

   Neste novo ano, subitamente por descuido fiquei gripado. No início fiquei de cama e depois tive que ir ao hospital. No hospital,quando estava entrando na sala de exames,um jovem médico perguntou-me o que eu tinha. Respondi que havia contraído uma recaída de uma gripe. -Desde quando?- O médico me perguntou. -Desde o ano novo. - Respondi. Logo em seguida, o médico falou que se está tanto tempo nesse estado, então não é gripe. Falei então que a gripe apesar de fraca, não melhorava. Tinha dor de cabeça e dor abdominal constante. Também sentia dores nas articulações e estava com diarréia. Sem contar que estava com nariz entupido e não conseguia dormir com isso. De qualquer forma, dei todos os detalhes de meu estado. O médico então, fala que é estranho uma gripe causar dor de cabeça e me perguntou que parte da cabeça doía. Eu agüentei o máximo de minha vontade, pois queria que ele fizesse algo rápido para atenuar um pouco que fosse desse estado. Mesmo pensando, eu não sabia onde doía, então falei que sentia a cabeça pesada e doía tudo. Perguntei então se era a tão falada gripe asiática (influenza). O médico sem me olhar e mexendo no seu computador, me perguntou se eu queria fazer o exame de gripe asiática. Dizendo ainda que, mesmo fazendo tal exame, sua eficácia é de 48 horas em seu estado inicial e queria saber se realmente eu queria fazer o exame. Respondi que dessa forma não queria fazer o exame. Assim sendo, em 3 minutos o médico, sem me tocar e examinar avaliou o meu estado e concluiu a consulta receitando-me 3 tipos de remédios.

   O médico pensa que me examinou competentemente, mas para mim que suspeitava da doença, senti uma grande lástima e magoa por ele não ter compreendido o sofrimento de meu coração. Porém, fiquei refletindo sobre isso e me perguntei se nas salvações do dia-a-dia eu não estou fazendo a mesma coisa que aquele médico. Será que eu não estou negligenciando a compreensão do sofrimento no coração das pessoas? Será que a pessoa não está com um problema ou uma doença maior do que aparenta estar, podendo essa pessoa estar pedindo ajuda urgentemente e eu olhando apenas o lado exterior e não procurar saber o interior da pessoa. O quanto será que eu estou sendo sensato em meus atos como um instrumento de salvação às pessoas aflitas espiritualmente? Será que eu sou capaz de deixar as minhas conveniências de lado para esperar por alguém aflita? Quando o próximo está necessitando desabafar ou apenas conversar, será que terei disposição de ouvi-lo mesmo estando ocupado? Serei capaz de não ser levado pelas cogitações humanas, e espontaneamente parar uma atividade importante para tomar posição, estendendo a mão a alguém necessitado, e ter sempre a postura de um instrumento de salvação de Deus? 

   Nas palavras do Shimbashirasama, fala que deseja que cada um de nós tenha no coração além do espírito de salvar os outros, o espírito de cultivar e praticar, que significa o que eu havia refletido anteriormente. E no momento de lidar com alguém com sofrimento e angústia no coração, não pensar duas vezes e dedicar o tempo que for necessário para salva-lo, cultivando essa pratica no espírito. 
Na realidade, é muito difícil de saber o que realmente a pessoa está sentindo e julgamos apenas por sua aparência. Por haver muitas pessoas sofrendo no mundo, não podemos 
deixar de nos esforçar e caminhar até elas para transmitir as palavras de Oyassama. Doravante, não podemos esquecer de dedicar à salvação dessas pessoas estando sempre disponível para ouvi-las, uma vez que tenham o conhecimento transmitido por Oyassama. O acumulo das dedicações com sinceridade verdadeira, fará com que possamos enxergar com clareza o sofrimento no coração das pessoas, e então adquirir-se o espírito de desejar a felicidade e dedicar ao próximo. O espírito de salvar os outros é o esforço contínuo no dia-a-dia e cultivação do espirito.

   Mais uma vez este ano, vamos nos empenhar na salvação universal e dedicarmos espiritualmente para que todos, possamos viver em harmonia. 


Chefe da igreja-mor Honshiba, 

Yoshihiko shirokihara



 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal